(67) 3320-4000
gestaocomercial@cdlcg.com.br
Rua Antônio Correa, 417 - Monte Líbano - Campo Grande-MS

Lockdown: 18 mil varejistas fecham as portas de vez durante a pandemia


Levantamento da CDL CG – Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande, junto ao banco de dados do SPC Brasil, aponta que, em apenas três meses, Campo Grande perdeu cerca de 18 mil empresas prestadoras de serviço e comércio, de 46.683 para 28.404, o que significa diminuição de postos de trabalho, renda e impostos.

Desde o início da pandemia, a CDL CG tem alertado para a necessidade de aplicar as regras de biossegurança, permitindo que o comércio se mantenha ativo para gerar empregos e renda, aquecendo a economia, que já vinha de crises e obras públicas, que sufocaram os lojistas da Rua 14 de julho, por exemplo.

O grande número de baixas nos CNPJs tem preocupado. As empresas não estão sobrevivendo às ações das gestões públicas e os recursos anunciados pelo governo federal também não chegam na velocidade necessária a quem realmente necessita desse apoio. No ritmo em que estão fechando, dificilmente haverá uma recuperação econômica a curto prazo, colocando ainda mais em risco a saúde da população.

O presidente da CDL CG, Adelaido Vila, lamentou que tantos empresários não tenham conseguido sobreviver a esse período. “A pandemia expôs a fragilidade das administrações públicas, que não foram capazes de dar soluções eficazes, nem para a saúde das pessoas, nem para a economia. É lamentável que tantas pessoas tenham perdido sua capacidade de sobrevivência e ainda corram tantos riscos a sua saúde”.

O presidente ainda lembrou que o varejo adotou todas as medidas de biossegurança, ficou fechado por mais de quinze dias, tem várias regras a cumprir e é sempre o primeiro a sofrer com as restrições, e ainda assim, o número de casos só aumenta na cidade. “O resultado de tudo isso é que hoje Campo Grande sofre com a morte de pessoas e de empresas, que não sobrevivem à falta de planejamento. Campo Grande está de luto, apesar de tanta luta dos comerciantes para sobreviverem a mais esta batalha”, lastimou.

CNPJs em Campo Grande

Em março de 2020, Campo Grande possuía 122.838 CNPJs, sendo que 63.423 eram microempreendedores individuais, 22.139 prestadores de serviço, 24.544 comércios e, 12.732 atividades não relacionadas com o varejo. Do total de prestadores de serviços e comércio (46.683), 43.923 eram micros, 2.171 pequenos, 243 médios e 346 grandes empresas.

Em junho de 2020, Campo Grande o número de CNPJs baixou para 98.088, sendo que 62.719 são microempreendedores individuais, os prestadores de serviço caíram para 14.658 e o comércio para 13.746. Do total de prestadores de serviço e comércio (28.404), as micro empresas diminuíram para 25.965, as pequena para 1.964 e as 209 médias. Mesmo as grandes empresas não sobreviveram à pandemia, das 346 existente em março, apenas 266 ainda estão abertas.




CDL - Todos os direitos reservados Desenvolvido por EquipeA.com.br